domingo, 23 de agosto de 2015

Ocidente e oriente se unindo

Reino Unido reabre embaixada em Teerã quatro anos após invasão
Por Agência Brasil* Edição:Denise Griesinger

O chefe da diplomacia britânica, Philip Hammond, reabriu hoje (23) a embaixada do seu país em Teerã, quatro anos após a invasão da embaixada britânica na capital iraniana por manifestantes favoráveis ao regime do então presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, hostil a sanções mais duras contra o Irã relacionadas com o programa nuclear.
A reabertura da embaixada britânica em Teerã acontece simultaneamente à reabertura da embaixada iraniana em Londres, também fechada pelo mesmo período de quatro anos. Depois da cerimônia de abertura, Philip Hammond deverá reunir-se com vários líderes iranianos, incluindo o presidente, Hassan Rohani, e o chefe de diplomacia, Mohammad Javad Zarif. 
Esta é a primeira visita de um chefe da diplomacia britânica ao Irã desde 2003. Ela acontece depois de vários ministros europeus terem visitado Teerã em razão da assinatura do acordo histórico sobre o programa nuclear iraniano em 14 de julho.Os principais países europeus têm atualmente embaixada em Teerã, mas os Estados Unidos e o Canadá ainda não reabriram a deles.
"A reabertura de nossas embaixadas é um passo fundamental na melhoria das nossas relações bilaterais", disse Hammond, em comunicado divulgado pelo gabinete dos Negócios Estrangeiros, em Londres, antes da sua partida. 
O ministro afirmou que "isso não significa" que concordem em tudo, mas sublinhou que "é desejável que o Reino Unido e o Irã tenham missões diplomáticas recíprocas". 
"Primeiro, queremos garantir que o acordo nuclear seja um sucesso, particularmente no que diz respeito à promoção do comércio e do investimento, uma vez que as sanções serão levantadas", disse. 
Hammond está no Irã acompanhado por vários líderes empresariais.
O ministro britânico afirmou ainda que o Reino Unido e o Irã também deverão estar preparados para discutir os desafios que enfrentam, como o terrorismo, a estabilidade regional, a expansão do movimento do Estado Islâmico na Síria e no Iraque, a luta contra o tráfico de drogas e migração.
Hammond acrescentou que a embaixada será inicialmente administrada pelo encarregado de negócios, mas adiantou que deverá ser nomeado um embaixador nos próximos meses.

*Com informações da Agência Lusa